História da Franco-Maçonaria em Portugal (1733-1912)

PDFImprimirEmail

Com envio Self pick-up para 0,00 €
Preço base: 17,00 €
Preço de venda: 17,00 €
Desconto:
Preço / kg:
AUTOR: Manuel Borges Grainha
DATA: 2016
IDIOMA: Português
ISBN: 978-972-699-978-2
Descrição

Sobre o livro

A História da Franco-Maçonaria em Portugal, de M. Borges Grainha, foi publicada pela primeira vez em 1912. O seu sucesso foi de tal ordem que logo conheceu nova edição em 1914. A razão entende-se facilmente na medida em que ela corresponde a uma tentativa de historiar, tão completamente quanto possível, a Maço-naria em Portugal, desde o seu início no século XVIII, no período compreendido entre 1733 e 1912, e é publicada numa época agitada, pouco depois da implantação da República, no quadro dos conflitos que decorrem desse evento, entre a Maçonaria e a Igreja, em Portugal como noutros países. Outro aspecto relevante que Borges Grainha salientou enquanto membro do Grande Oriente Unido em 1914, e está patente nesta obra, é o de que “o espírito da Maçonaria é o espírito da libertação, da solidariedade e do aperfeiçoamento social e humano”. Extinta pelo Estado Novo em 1935, ano em que Salazar decretou a proibição de todas as sociedades secretas, a Maçonaria recolheu a uma espécie de clandestinidade, nunca deixando de existir apesar da forte repressão que abatia sobre ela.  

 

 

Sobre o autor

Nascido na Covilhã, em 14 de Janeiro de 1862, Manuel Borges Grainha foi um latinista e historiador de reconhecidos méritos. Matriculado por um tio no Colégio de Campolide, ingressou depois na Companhia de Jesus onde adquiriu uma formação superior em Letras. O seu percurso maçónico foi iniciado em 3 de Abril de 1893 no Triângulo a constituir em Braga, de que seria fundador, com o nome simbólico de “Reconstrutor”. Dedicou também um especial cuidado ao ensino, ao serviço do qual leccionou durante muitos anos no Liceu Passos Manuel, e, de permeio com a sua acção política, escreveu muitas outras obras.

Comentários

Ainda não há comentários para este produto.